07/06/2017 MUDANÇAS CLIMÁTICAS

Australianos vêem modificações nos GEE’s

Um grupo de pesquisadores do Centro de Ciência Climática da CSIRO e da Universidade de Melbourne, Austrália, registraram as mudanças nos 43 gases de efeito estufa que contribuem para mudanças climáticas induzidas pelo ser humano. Cientista de pesquisa do CSIRO e co-autor do relatório, o Dr. David Etheridge disse que o artigo publicado na revista Geoscientific Model Development foi uma das maiores contribuições australianas para avaliações de mudanças climáticas globais. "Este registro contínuo nos últimos 2 mil anos foi construído meticulosamente combinando medições de gases de efeito estufa de dezenas de laboratórios em todo o mundo", disse o Dr. Etheridge.
 
"Nós tomamos dados de amostras de ar contemporâneas e arquivadas, e do ar preso em bolhas de gelo em núcleos de gelo polar e neve compactada, também chamado de firn". A Austrália (através do CSIRO e do Bureau of Meteorology) é o principal contribuinte deste registro global de gases de efeito estufa, usando observações da estação Cape Grim do Bureau of Meteorology, no noroeste da Tasmânia e do Cape Grim Air Archive. O CSIRO, juntamente com a Divisão Antártica Australiana, a Organização Australiana de Ciência e Tecnologia Nuclear e outros colaboradores, também é a principal fonte de dados de gases de efeito estufa na era pré-instrumental, usando medidas do ar extraído do gelo antártico e firn. 
 
O recorde inclui, pela primeira vez, um conjunto de 43 gases com efeito de estufa que são liberados para a atmosfera como resultado de atividades humanas e processos industriais. "Essas observações mostram claramente o aumento implacável e quase contínuo de alguns dos gases de efeito estufa mais importantes como dióxido de carbono, metano e óxido nitroso desde 1.750", disse o Dr. Etheridge. 
 
O co-autor do relatório, Paul Fraser, da CSIRO, disse que era encorajador ver o declínio em alguns gases de efeito estufa, como o CFC-12 e o CFC-11, que é mensurável em resposta ao Protocolo de Montreal. A Dr. Malte Meinshausen, do Colégio Australian-German Climate & Energy da Universidade de Melbourne, e autor principal do relatório, disse que este recém-publicado banco de dados contínuos e de alta qualidade impulsionará as simulações globais do modelo climático atualmente conduzidas por grupos de modelagem internacionais antes do próximo Relatório de avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), previsto para 2021-2022. 

Veja também

07/06/2017
ACORDO DE PARIS | Apesar de Trump, americanos aderem às metas
05/06/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | EUA saem do Acordo de Paris. China e UE assinam.
15/05/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Relatório mostra pressão da indústria
21/03/2017
ESTADOS UNIDOS | General alerta sobre mudanças climáticas
15/03/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Torre Atto vai coletar dados na Amazônia
23/02/2017
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | Filamentos mostram impactos na Floresta Amazônica
16/12/2016
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | 363 empresas informam emissões diretas
23/11/2016
MUDANÇAS CLIMÁTICAS | PNUD lança relatório sobre aquecimento