07/08/2018 BIODIVERSIDADE

Brasil apresenta diagnóstico preliminar

Os resultados do primeiro diagnóstico brasileiro de biodiversidade e serviços ecossistêmicos, elaborado pela Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES, na sigla em inglês) foram apresentados durante a 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) em Maceió, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal). “O sumário ainda não está em sua versão definitiva e foi apresentado com o objetivo de debatermos as conclusões com a comunidade científica para incorporar críticas e sugestões que eventualmente possam ser feitas”, disse Carlos Joly, professor da Unicamp e membro da coordenação da BPBES e do Programa Biota-Fapesp. 
 
De acordo com o professor Joly, a versão preliminar do sumário representa a última etapa do trabalho de elaboração do diagnóstico até um documento definitivo, previsto para outubro de 2018. A versão preliminar foi apresentada em grupos focais com representantes de órgãos governamentais, empresas, organizações públicas e jornalistas. “Estamos elaborando o diagnóstico brasileiro de biodiversidade e serviços ecossistêmicos em diálogo com a sociedade”, afirmou Joly. Para elabração do estudo foi criado um Grupo de Trabalho pela SBPC, com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), da Academia Brasileira de Ciências (ABC), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Programa Biota-Fapesp e da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS), entre outras entidades. 
 
O GT reúne 36 pesquisadores de diferentes áreas, vinculados a universidades de diversos estados, e mais 14 autores convidados. “O relatório do diagnóstico brasileiro terá cinco capítulos e seguirá a mesma estrutura do diagnóstico regional sobre biodiversidade e serviços ecossistêmicos nas Américas do IPBES [Plataforma Intergovernamental sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos] apresentado em março deste ano”, disse Joly. 
 
A ideia de um diagnóstico brasileiro de biodiversidade surgiu a partir do trabalho realizado do IBPES, contou Joly. Durante a reunião dos autores do relatório regional das Américas se constatou que havia um grupo de 25 pesquisadores brasileiros participantes do trabalho. “Pensamos se não era o caso de também fazermos um diagnóstico brasileiro, uma vez que as informações sobre a biodiversidade brasileira estão divididas em órgãos como os ministérios do Meio Ambiente, de Ciência, Tecnologia, Comunicações e Inovações, da Agricultura e das Relações Exteriores”, disse Joly. O pesquisador conclui que o objetivo era unir dados, sintetizá-las e chegar a conclusões para determinar caminhos e decisões sobre medidas de conservação e uso sustentável da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos. 

Veja também

05/09/2018
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS | Coletânea sobre legislação brasileira
05/09/2018
TECNOLOGIA | Stockholm Water Water premia estudantes
18/04/2018
RESÍDUOS ELETRÔNICOS | Cetem lança manual de destinação
08/11/2017
ÁGUAS SUBTERRÂNEAS | Produção técnico-científica cresce no Brasil
19/09/2017
BIODIVERSIDADE | Thomas Lovejoy em conferência no Brasil