11/07/2019 ESGOTO

BRK investe R$ 60 milhões em ETE

A BRK Ambiental iniciou a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Tijuco Preto, um projeto de R$ 60 milhões e que permitirá aumentar o tratamento de esgoto no município de Sumaré (SP) dos atuais 35% para 60%. A ETE Tijuco Preto terá tratamento terciário e contará com reatores biológicos com o processo de tratamento holandês conhecido como Nereda, que apresenta vantagens em relação a outros tipos de tratamento. “Essa tecnologia permite uma área reduzida de implantação, tem baixo consumo energético e redução de geração de odores, além de garantir uma elevada eficiência de tratamento, superior aos sistemas convencionais”, explica Heitor Mendonça, gerente de obras da BRK Ambiental em Sumaré. 
 
A ETE Tijuco Preto ocupará área de 20 mil m² e irá tratar 230 l/s de esgoto. A estação atenderá 52 bairros das regiões do Matão e da área Cura. Aproximadamente 115 mil pessoas serão beneficiadas com a ETE, além do Ribeirão Quilombo, que não receberá mais o esgoto gerado sem tratamento. 
 
A obra é dividida em quatro etapas, sendo que a primeira, de terraplanagem, já teve início. Posteriormente serão feitas obras civis e de montagem hidromecânica em que serão construídos os tanques em concreto armado, as edificações e a instalação dos equipamentos e tubulações. Esta fase está prevista para outubro deste ano. 
A terceira etapa consiste na montagem eletromecânica e a automação, ou seja, nesta etapa será implantada toda infraestrutura elétrica e de comando, assim como os painéis e equipamentos necessários para a operação automatizada da ETE, enquanto a última fase é a de urbanização e comissionamento, em que serão realizados os acabamentos e os testes dos equipamentos, tubulações e estruturas para que seja iniciada a operação. 
 
Atualmente, Sumaré tem 30% do esgoto coletado tratado em 19 ETE’s espalhadas em diversas regiões da cidade. Com a construção dessa nova ETE, as ETEs Estâncias, Pavan e Aclimação serão desativadas. “Será possível concentrar em uma única área uma vazão maior de tratamento e, assim, otimizar a eficiência operacional do sistema”, explica Mendonça. 
 
Também serão construídos 12 km de coletores para transportar o efluente até a estação para tratamento. A previsão é que todo o trabalho seja concluído em março de 2021.
 
Sumaré receberá mais 40 km de interceptores e coletores de esgoto e os subsistemas Jatobá e Quilombo, que vão permitir a universalização do tratamento de esgoto no município. Com isso, Sumaré terá 100% de esgoto coletado e tratado, o que deve ocorrer em dezembro de 2022.

Veja também