14/06/2017 OCEANOS

CSIRO realiza pesquisa de poluição marinha

O CSIRO está realizando pesquisa de poluição marinha com países de todo o mundo para ajudá-los a avaliar e reduzir a quantidade de lixo que entra nos oceanos. Alguns dos 20 maiores poluidores do mundo participarão do projeto, incluindo China, Bangladesh, Indonésia, Vietnã e Estados Unidos, além de outros países, como Austrália, Coréia do Sul e Taiwan. 
 
"Até agora, temos contado com estimativas de dados do Banco Mundial, então esta será a primeira vez que alguém reunirá um grupo de países para ver exatamente a quantidade de lixo que se despeja nos oceanos", disse a cientista sênior do CSIRO, Denise Hardesty. Com o projeto poderão ser localizados os pontos de acesso de lixo ao observar como as pessoas, o vento, o solo e a água das tempestades se movem para o oceano. No início de junho houve encontro com representantes de cinco países parceiros na Coreia do Sul para o primeiro workshop de treinamento do projeto. 
O Dr. Sunwook Hong, da Rede do Leste da Ásia Oriental, liderará o envolvimento da Coréia do Sul no projeto e disse que tomar uma abordagem global era essencial para enfrentar o problema. "Ao coordenar nossa abordagem, poderemos conseguir algumas vitórias rápidas e saber onde estabelecer nossas metas para objetivos em mais longo prazo", disse o Dr. Hong. 
 
O lixo despejado nos oceanos, além de causar danos marinhos e ambientais,  pode fazer com que drenos de águas pluviais sejam bloqueados, levando a inundações localizadas significativas e graves riscos para a saúde das pessoas locais. 
 
O projeto segue anos de pesquisa de detritos marinhos liderados por Denise e sua equipe, que publicou conclusões significativas, incluindo a quantificação da quantidade de lixo em todo o litoral australiano e relatando o número de aves marinhas e outros animais selvagens comendo plástico.