14/06/2017 ENERGIA EÓLICA

Inaugurado projeto com potência de 359MW

A Casa dos Ventos inaugurou, no dia 9 de junho, o Ventos do Araripe III, um dos maiores complexos eólicos da América Latina, localizado no alto da Chapada do Araripe, na divisa entre os estados de Pernambuco e Piauí. 
O projeto recebeu investimento de R$ 1,8 bilhão e é composto por 14 parques, sendo nove no Piauí e cinco em Pernambuco, tem 156 aerogeradores e potência instalada de 359 MW. “A entrada em operação de Ventos do Araripe III, não só consolida a Chapada do Araripe como um dos maiores polos de geração eólica do mundo, como celebra um ciclo de investimento de 1GW em dois Estados muito importantes para a companhia”, afirma Mário Araripe, presidente e fundador da Casa dos Ventos.
 
Ventos do Araripe III tem capacidade maior do que a de todos os parques eólicos inaugurados em 2016 em países como África do Sul, Grã-Bretanha e México. “Identificamos um recurso eólico singular na Chapada do Araripe, que nos permitiu gerar energia renovável a baixo custo, com impactos ambientais mitigados e ganhos sociais para as comunidades envolvidas”, afirma Araripe. O Complexo Ventos do Araripe III gerou aproximadamente 1.500 empregos diretos, com prioridade para mão-de-obra local. Além disso, cerca de 70 famílias de Simões (PI) e Araripina (PE) tornaram-se parceiras da Casa dos Ventos arrendando suas propriedades para instalação dos aerogeradores – modelo permite que recebam mensalmente uma quantia calculada a partir da energia gerada –, ao todo, mais de R$ 5 milhões serão pagos anualmente aos moradores locais com propriedades arrendadas para o complexo eólico. 
 
Com o início de operação do complexo eólico Ventos do Araripe III, cerca de 500 mil toneladas de dióxido de carbono deixarão de ser emitidas anualmente na atmosfera, contribuindo para um desenvolvimento sustentável, a partir da geração de energia limpa e renovável. Além da implantação dos parques em Ventos do Araripe III, a Casa dos Ventos foi responsável pela construção de uma linha de transmissão de 35 km para conectá-los ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

Veja também