14/04/2019 CERRADO

Paisagens Rurais receberão US$ 21 milhões

A ministra de Agricultura, Teresa Cristina, e o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, assinaram acordo de cooperação técnica para o projeto Paisagens Rurais. Estão previstos investimento de US$ 21 milhões entre 2018 e 2023 para recuperação ambiental e incentiva à produção agropecuária sustentável no Cerrado. Durante pelo menos dois anos, cerca de quatro mil propriedades rurais receberão capacitação e assistência técnica e gerencial sobre estratégias de manejo desenvolvidas pela Embrapa que proporcionam condições para a recomposição das áreas de preservação permanente (APP), de reserva legal (ARL) e de uso restrito (AUR) das propriedades rurais, previstas na legislação, e a tecnologias que visam principalmente à redução da emissão de carbono nas atividades rurais. 
 
As propriedades estão localizadas em dez bacias hidrográficas em oito estados brasileiros – Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, São Paulo, Tocantins – e o Distrito Federal. A iniciativa é uma ação conjunta desenvolvida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa); Embrapa; Serviço Florestal Brasileiro (SFB); Agência de Cooperação Técnica Alemã (GIZ); Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe); com apoio do Banco Mundial. A Embrapa Cerrados (Planaltina, DF) coordenará a definição das tecnologias que serão levadas às propriedades e, juntamente com o Senar, pela capacitação dos extensionistas rurais que atuarão no projeto. A Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP) participará do monitoramento das áreas atendidas junto com o Inpe.
 
“Temos uma expectativa muito grande com esse projeto. Queremos mudar o perfil dos produtores do Brasil. Queremos que os pequenos se transformem em médios produtores”, explica o presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins. Além disso, destaca que o projeto proporcionará mudanças positivas para a conservação da paisagem natural das bacias hidrográficas do Cerrado. Para o embaixador da Alemanha, trata-se de um projeto que representa importante passo para o desenvolvimento do Cerrado: “A cooperação técnica com o Brasil avança para a recuperação de áreas degradadas, ação importante para que o País cumpra a meta acordada em Paris, em 2015, e seja atuante no combate às mudanças climáticas”. No evento, a ministra da Agricultura lembrou que o produtor rural sempre preservou o meio ambiente, mas agora poderá preservar mais, com base em informações e conhecimentos. “O Cerrado é o bioma mais produtivo do Brasil, de onde vem grande parte da riqueza e dos alimentos que ofertamos ao mundo, além de ser um grande reservatório mundial de água. Cuidar da nossa água, do nosso solo e dar condições para que o produtor rural faça isso é fundamental”, explica Teresa Cristina sobre a escolha do bioma para iniciar o projeto. Segundo o diretor da GIZ, a experiência adquirida no Cerrado pode ampliar a iniciativa para os outros biomas do País.
 

Veja também

13/03/2019
MATA ATLÂNTICA | Movimento Grande Reserva
19/02/2019
REFLORESTAMENTO | Kinross amplia doação de mudas
07/08/2018
LEGADO VERDES | Programa recupera nascentes no Cerrado
28/07/2018
FLORESTAS TROPICAIS | Estoques de carbono e biodiversidade