07/04/2019 EMISSÕES

UE pode reduzir 58% em 2030

Em 2020 terão se passado trinta anos do primeiro relatório do Painel Intergovernamental das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (IPCC, sigla em inglês) e restarão outros trinta para que os países da União Europeia cumpram o prazo definido para descarbonizar completamente a economia do bloco. Entretanto, o bloco europeu ainda sofre para implantação de medidas que viabilizem o fim das emissões de gases poluentes. As emissões do bloco europeu foram 24% inferiores em 2018 na comparação aos números registrados em 1990, o que significa que, após metade do tempo, as nações europeias reduziram as emissões em apenas 1/4. 
 
Por um lado mais otimista, segundo novo relatório do Sandbag, sediado em Londres, A Europa já possui medidas implementadas que podem viabilizar os cortes de emissões em 50% em 2030 com relação a 1990. Isso é importante, já que a discussão política na UE sobre metas para 2030 ainda limita a ambição para em torno de 40% de redução de emissões. Ou seja, o novo "business as usual" europeu deve contar com cortes de 50% nas emissões da UE para o final da próxima década. 
 
O relatório também assinala que é possível aumentar ainda mais o potencial de redução de emissões das políticas que estão implementadas neste momento na Europa. O fechamento de usinas energéticas a carvão, medidas de eficiência energética, aumento no uso de fontes renováveis de energia e de veículos elétricos, além de avanços na precificação de carbono, podem contribuir para que as emissões europeias sejam reduzidas em 58% até 2030. "Esta é uma boa notícia. A União Europeia está no caminho para uma redução significativa de suas emissões de até 58% em 2030", assinala Suzana Carp, coordenadora de engajamento do Sandbag. "Ir além desse potencial depende de vontade política. Tudo isso foi possível pelo progresso incremental feito desde a ratificação do Acordo de Paris e sublinha o fato de termos uma nova linha de base para trabalharmos, que nos leva ao menos para a metade do caminho rumo a uma União Europeia com emissões líquidas zero".
 
Porém, a meta de emissões líquidas zero ainda depende de mais ações e ambição por parte dos governos europeus. "É importante que os compromissos climáticos de alto nível da UE liderem o esforço, de maneira que as políticas climáticas sejam implementadas para viabilizar cortes substanciais de emissões", aponta Dave Jones, analista de carbono e energia do Sandbag. "Para chegarmos ao cenário que queremos em 2050, a UE precisa agir mais. Cortes de emissões de curto prazo tornarão mais fácil e menos custoso eliminar as emissões até a metade deste século".
O relatório da Sandbag pode ser baixado no link https://sandbag.org.uk/project/halfway-there. 

Veja também

17/06/2019
FUMAÇA PRETA | Cetesb autua mais de 1.000 veículos
21/01/2019
CAMADA DE OZÔNIO | Brasil obtém US$ 13 mi para proteção
10/10/2018
POLUIÇÃO VEICULAR | Prazo maior para medidas
17/08/2018
POLUIÇÃO DO AR | O impacto do turismo no verão europeu
09/07/2018
EMISSÕES | Estudo mede CO2 na Mata Atlântica