13/04/2020
SÃO PAULO

1.200 caixas d’água para Paraisópolis

O Governo de São Paulo anunciou a distribuição de 1.200 caixas d'água em Paraisópolis para garantir acesso à água 24 horas por dia para cerca de 100 mil moradores da segunda maior comunidade localizada na zona sul da capital paulista. 

Segundo o ONDAS - Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento, a medida, para ser eficaz, necessita do envolvimento da comunidade para definir os locais onde serão instaladas as caixas d'água, além de o governo arcar com os custos da instalação. O ONDAS alega isso, pois medida similar foi adotada durante a crise de abastecimento de água na Região Metropolitana de São Paulo em 2014/2015, sem que apresentasse resultado satisfatório. 

"Esse impacto não é sentido nas áreas mais urbanizadas, exatamente porque as pessoas contam com reservatórios que atendem suas necessidades até a normalização do abastecimento. Assim, o argumento de que a iniciativa pretende 'prevenir a falta de água em momentos em que sejam necessários reparos emergenciais ou manutenções preventivas na rede de abastecimento' não é o único", esclarece o secretário executivo do ONDAS, Edson Aparecido da Silva. Segundo Aparecido, o ideal seria, a partir de discussão com a comunidade, a instalação de reservatórios coletivos de água, de fácil acesso e distância adequada, que possam ser utilizados pelos moradores em casos de emergência, do contrário, a medida é inócua. "Além disso, o Estado precisa tomar providências urgentes visando àqueles que não têm acesso formal à água, como a população em situação de rua, por meio, por exemplo, da criação de um programa de instalação de pias e tanques para higienização das mãos e roupas", conclui Edson.