08/02/2021
LIXO ELETRÔNICO

App para ajudar no descarte correto

Estudantes do curso Técnico Integrado ao Médio de Informática (Etim) da Escola Técnica Estadual (Etec) Raposo Tavares, de São Paulo, desenvolveram o aplicativo E-Trash para ajudar o usuário a fazer o descarte em locais apropriados. Com o app, os estudantes pretendem contribuir para redução do volume de sucata eletrônica que em grande parte é dispensada de forma indevida e acaba sobrecarregando aterros sanitários. Segundo levantamento realizado pelos alunos, apenas 2% dos equipamentos obsoletos são reciclados no Brasil, volume muito abaixo se comparado com Estados Unidos e Europa.

O app oferece a opção para empresas e instituições com postos de coleta se cadastrarem para receber, além de celulares e tablets, computadores e notebooks. Na outra ponta, as pessoas interessadas em dar uma destinação correta aos seus equipamentos podem baixar o aplicativo e, por meio de geolocalização, receber todas as informações sobre os pontos mais próximos da sua região. A terceira ponta da cadeia, a coletora de sucata eletrônica, faz o agendamento para retirada dos aparelhos nos postos.

A ferramenta foi tema do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do grupo formado pelos jovens Matias Castro, Guilherme Vieira, Kaique Ryan, Danillo Santiago, Julia Ribeiro, Vinicius Tavares e Luiz Fernando Lazaro. O projeto se baseou em uma pesquisa sobre hábitos relacionados ao descarte de eletrônicos realizada com 100 pessoas. Os dados fundamentaram o TCC e reforçaram a relevância desse tipo de iniciativa. Entre os entrevistados, 80,4% confirmaram preocupação com os efeitos do descarte incorreto de eletrônicos no meio ambiente. Os que disseram que não sabem realizar a destinação adequada e não conhecem algum ponto de coleta representam 62,9% e 64,9%, respectivamente; 68% usariam um aplicativo que orientasse sobre o assunto e 47,4% tinham algum produto para se desfazer. Entre os equipamentos mais descartados estão celulares (53,9%) e tablets (19,7%). 

O projeto interdisciplinar envolveu os docentes Nilza Bezerra, Gisele Cardoso e Wesley Castanha das disciplinas de Desenvolvimento de Sistemas, Banco de Dados e Sistemas Embarcados resultado superou as expectativas.