22/04/2020
COLETA SELETIVA

Aumento de 14% com isolamento social

A Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb) registrou um crescimento de 14% na coleta seletiva na cidade de São Paulo desde março, quando os paulistanos passaram mais tempo em casa por causa do novo coronavírus. "Esse crescimento é muito positivo para a cidade e atribuímos a ele não somente ao período de isolamento social, mas também às ações de educação ambiental que trabalhamos constantemente, como o movimento Recicla Sampa" disse o presidente da Amlurb, Edson Tomaz de Lima Filho. 

Em março foram coletadas aproximadamente 7.741 toneladas de materiais recicláveis, cerca de 13% a mais que no mesmo período de 2019 (6.680 toneladas). Os primeiros dias de abril apontam para um acréscimo de 30% de resíduos recicláveis comparado com o mesmo período do ano anterior. "Esperamos que, ao final desta crise, possamos sair mais conscientes e com novos e melhores hábitos, dentre eles o da reciclagem", afirmou Lima Filho. 

No mesmo período, também foram analisados os resíduos de saúde e o da coleta seletiva domiciliar comum (não reciclável) que permanecerem estáveis com uma variação de até menos 3%. O fechamento do comércio de pequenos geradores colaborou para um equilíbrio entre uma possível maior geração de resíduos nas residências e menor nos estabelecimentos comerciais.