25/10/2020
RESÍDUOS SÓLIDOS

Carlos Silva assume presidência da ISWA

Há sete anos como Diretor-presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho assumirá a presidência da ISWA - International Solid Waste Association, principal entidade internacional do mundo com atuação no setor de resíduos sólidos. Esta é a primeira vez que um brasileiro ocupa o cargo em 50 anos. 

Nos próximos dois anos, Carlos Silva Filho irá trabalhar para potencializar o desenvolvimento de projetos que aprimorem a gestão de resíduos no mundo, a exemplos das campanhas pelo encerramento dos lixões, combate à poluição marinha, redução de emissões de gases de efeito estufa e poluentes, além de promover o desenvolvimento tecnológico e as melhores práticas para o setor considerado essencial à proteção do meio ambiente e qualidade de vida da sociedade. "O desafio é tornar o tema gestão de resíduos uma prioridade na agenda global e viabilizar que recursos de projetos de assistência e financiamento sejam também direcionados para adequar as práticas atuais, que causam problemas na saúde de centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo. A gestão de resíduos é uma das barreiras mais importantes para a proteção sanitária, ambiental e de saúde, sendo também um dos protagonistas para a nova economia que está sendo estruturada.", diz o novo presidente da ISWA. 

Carlos Silva comentou que utilizará a experiência para elaborar relatórios sobre a gestão de resíduos no Brasil, como a publicação, há 16 anos, do Panorama dos Resíduos Sólidos, manter o Atlas Global de Resíduos Sólidos e outras bases de dados como referência de documento sobre o cenário de resíduos ao redor do mundo. Fundado em 1970, o ISWA tem sede em Roterdã, na Holanda, e conta com membros em mais de 110 países e uma rede com cerca de 40 mil profissionais ao redor do mundo. 

A entidade atua com base nos princípios da promoção do uso eficiente de recursos através da produção e consumo sustentáveis; apoio às economias emergentes e em desenvolvimento; evolução da gestão de resíduos por meio da educação e capacitação; promoção das melhores práticas e tecnologias mais apropriadas; profissionalização por meio de programas de qualificação.