18/12/2020
RIO DE JANEIRO

Cedae terá que garantir água potável

A Defensoria Pública do Rio, o Ministério Público Estadual e a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) assinaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para garantir informação sobre a crise de abastecimento e, principalmente, acesso à água potável para todos os consumidores prejudicados pela redução de 25% de capacidade da Elevatória do Lameirão. O compromisso vigorará até o restabelecimento total do serviço do Lameirão. 

O acordo assinado em ação civil pública que tramita na 8ª Vara de Fazenda Pública desde o início da pandemia prevê que a Cedae comprometa-se a manter os dados atualizados sobre as localidades atingidas diariamente em seu site, além de informações sobre o rodízio de abastecimento, bem como a contemplar, igualmente, todos os bairros e cidades servidos pelo Lameirão, e dispor de carros-pipa para fornecer água a esses moradores. Imóveis sem cisterna deverão ter prioridade no atendimento. “O limite diário das manobras para cada bairro, de forma não prejudicial somente aos bairros carentes, com um rodízio igualitário e não discriminatório, foi uma importante demanda atendida neste acordo homologado judicialmente” explica o coordenador do Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria, defensor público Eduardo Chow De Martino Tostes.

Veja também