22/01/2021
BEM-ESTAR

Conscientização ambiental pode reduzir doenças

O fundador e presidente da ONG Save Cerrado, Paulo Bellonia, comenta que quando o homem destrói uma floresta para abrir terras, construir barragens ou eliminar a biodiversidade de forma desenfreada, acaba desencadeando problemas que podem afetá-lo diretamente. “Agora, estamos entrando mais em contato com patógenos de animais silvestres quando alteramos seu habitat, em um contexto pior para nós, pois a densidade populacional dos seres humanos é muito mais alta, e estamos muito mais conectados, o que favorece o espalhamento de uma doença, como o coronavírus.”, completa Bellonia. 

As mudanças climáticas causadas pelo desmatamento humano também podem contribuir para o aparecimento de novas doenças, segundo cientistas. “Há outras maneiras pelas quais nossas atividades humanas podem facilitar o surgimento ou transmissão de doenças, como o desmatamento e isso não pode ser ignorado”, alerta o fundador da SaveCerrado. 

Atualmente, todos os países enfrentam a pandemia da COVID-19, o que faz Bellonia acreditar que as pessoas estão olhando mais para o coletivo. “Defender o equilíbrio do ecossistema é preservar a saúde e o bem-estar humano. Tudo está inserido dentro de um importante ciclo”, alerta. A Save Cerrado atua exclusivamente no bioma e tem ações relacionadas com áreas específicas e de altíssima relevância de preservação para a sociedade brasileira e mundial, tanto pela abundância das águas quanto pelo fato de se tratar de um hotspot, tudo com total transparência sobre onde exatamente os recursos estão sendo aplicados. 

O ambientalista diz que Hotspots são áreas com grande biodiversidade, ricas principalmente em espécies endêmicas, e que apresentam alto grau de ameaça. Elas se concentram em apenas 2,3% da superfície do planeta e detêm cerca de 60% de patrimônio biológico do mundo. Durante a pandemia, a Save Cerrado iniciou uma campanha que vai destinar parte dos recursos captados às entidades e projetos que estejam atuando no combate aos impactos sociais da doença.

Veja também