14/09/2020
VELHO CHICO

Construtora retoma obras no Ceará

A empresa de construção e engenharia Passarelli retomou as obras do Lote 4 do primeiro trecho do Cinturão das Águas do Ceará (CAC), um projeto do governo do Estado. As obras estavam paralisadas a pedido do governo local para que todo empenho fosse voltado à conclusão dos Lotes 1 e 2, entregues em agosto. As obras do Lote 4 devem ficar prontas em dois anos e irão custar cerca de R$ 500 milhões. 

As águas do rio São Francisco abastecerão milhares de moradores, pequenos agricultores e criadores de algumas regiões do interior e da região metropolitana de Fortaleza (CE). Considerado o lote tecnicamente mais complexo para ser executado, uma vez que se trata de um trajeto mais rochoso e trabalhoso para escavar, o Lote 4 possui 34 km de canais e sifões de 2,80 metros de diâmetro, construídos para suportar uma vazão de 30m³ de água por segundo, o suficiente para abastecer uma cidade três vezes maior do que Fortaleza. "Nós, da Passarelli, estamos 100% empenhados em concluir essas obras, que são tão importantes para o Nordeste brasileiro, e buscamos contribuir com a nossa expertise e capacidade técnica para que as águas do Velho Chico tragam mais saúde e vida para a população", explica Décio Dias, Gerente Comercial da Passarelli. 

Ao todo, a Passarelli utilizará 130 mil m³ de concreto e realizará serviços de terraplenagem em um volume de 5 milhões de m³ para construir os canais, túneis e sifões necessários para transportar o volume de água. Para a construção, durante o pico de atividade, serão mobilizados cerca de 1.000 funcionários em diversas frentes para finalizar as obras. 

O CAC é um projeto de transferência de recursos hídricos entre 12 bacias hidrográficas do Ceará e tem como meta garantir o abastecimento para consumo humano e para projetos agropecuários e industriais no interior cearense, perenizando rios e garantindo o suprimento permanente para as populações do semiárido, além de garantir o abastecimento de Fortaleza e do Porto do Pecém. O projeto total do CAC prevê a construção de 1,3 mil km de canais, sifões e túneis e, em sua primeira etapa, serão investidos R$ 2 bilhões em uma extensão de 149 km de obras. O projeto concluído levará água para 93% do Ceará e permitirá a adução das águas transpostas para a maioria do território cearense, inclusive para as regiões mais secas do estado, bem como para aquelas com potencial turístico e econômico.