10/08/2020
AEGEA

Lucro líquido cresce 113% no trimestre

A Aegea Saneamento registrou lucro líquido de R$ 115,5 milhões no segundo trimestre de 2020, 113,6% superior ao obtido no mesmo período do ano passado. Já a receita operacional líquida somou R$ 540,4 milhões, aumento de 3,7%, em relação ao segundo trimestre de 2019, enquanto o Ebitda atingiu R$ 312,9 milhões, 13,7% a mais que no mesmo trimestre do último ano e com margem de 57,9%. “Esse resultado reforça nossa estratégia de crescimento de longo prazo e chancela nossa decisão de mantermos como prioridade os investimentos em melhoria da operação, o que tem nos permitido reduzir custos, ganhar eficiência e, ao mesmo tempo, melhorar os indicadores de qualidade dos nossos serviços”, afirmou Yaroslav Memrava, Diretor de Relações com Investidores da Aegea.

O EBITDA acumulado até o final do segundo trimestre de 2020 foi de R$1,3 bilhão, um aumento de 31,7% na comparação com o ano anterior e reflete a solidez financeira da empresa. O resultado foi alavancado pelo aumento do volume faturado, ganhos de eficiência de suas concessionárias, evolução dos resultados de Águas de Manaus e das alterações decorrentes do reequilíbrio econômico-financeiro em Águas de Teresina, Água de Guariroba e Prolagos.

No segundo trimestre, as receitas de água da Aegea cresceram 4,8% ou R$ 21,2 milhões, e as receitas de esgoto aumentaram 2,2% ou R$ 2,6 milhões. O volume faturado cresceu de 3,0% em relação ao mesmo trimestre de 2019. Do total deste aumento, 65,6% referem-se a Teresina, Guariroba, Nascentes do Xingu e Manaus, e a parcela remanescente é relacionada à expansão da rede de cobertura e ao crescimento vegetativo das demais concessões. O volume faturado de esgoto aumentou 2,2% em função principalmente do crescimento do volume médio por economia da categoria residencial ocorrido em Mirante.

Novas estações 

A Aegea inaugurou no trimestre as primeiras estações de tratamento de esgoto nas cidades de Barcarena (PA) e São Francisco do Sul (SC). A ETE Cabanos, em Barcarena, beneficiará inicialmente 4,4 mil moradores e a ETE Ubatuba, em São Francisco do Sul, irá tratar cerca de 5 milhões de litros de esgoto por dia em baixa temporada e mais de 10 milhões de litros de esgoto por dia durante o verão. As inaugurações destas novas instalações foram realizadas por eventos virtuais, respeitando todos os protocolos de segurança estabelecidos para a pandemia atual. No acumulado de 12 meses até o segundo trimestre de 2020, a Aegea realizou R$ 652,8 milhões em investimentos, com aumento de R$ 8,6 milhões na comparação com o CAPEX realizado no ano anterior.

“O novo marco regulatório do saneamento vai aprimorar e modernizar o setor, trazendo a segurança jurídica necessária para atrair mais investimentos e acelerar a universalização da cobertura do serviço”, afirma o diretor-presidente da Aegea, Radamés Casseb. Em relação à pandemia do COVID-19, a Aegea, por meio de um Núcleo de Contingência Operacional, implementou os protocolos para garantir a operação dos serviços essenciais, mantendo as estações de tratamento de água, de esgoto e os Centros de Controle Operacional em pleno funcionamento. 

Os protocolos de saúde e segurança foram detalhados de forma padronizada, com um amplo cuidado em todos os níveis em todas as unidades dos 57 municípios em que a empresa atua. A companhia realizou doações para hospitais, desinfecção de vias públicas com grande circulação, doação de itens de higiene pessoal, instalação de pias em vias públicas, doação de cestas básicas e de itens de segurança pessoal. Para os clientes, reforçou o atendimento virtual, que supriu a necessidade de ter as lojas físicas abertas, além de implementar facilidades e estimular o uso do aplicativo Águas em todas as concessionárias.