24/10/2019
ECONOMIA CIRCULAR

Microfibra de PP de copos descartáveis

A Braskem desenvolveu uma microfibra de polipropileno (PP) a partir de copos descartáveis para aplicação no setor têxtil. A petroquímica confirmou a viabilidade técnico-econômica do processo de produção renovável por meio de parcerias, como Profil, empresa responsável pela produção dos fios e cliente da Braskem, e EcoSimple. 
 
Além dessas parcerias, a Braskem assinou com a grife PatBO para utilizar fios e tecidos à base de microfibra de polipropileno com material reciclado na criação de peças de moda beachwear que estarão expostas na edição nº 48 da São Paulo Fashion Week. “As parcerias têm sido fundamentais para que possamos evoluir o desenvolvimento de soluções que possam fortalecer a Economia Circular na cadeia de valor em que atuamos. O polipropileno, que já é uma alternativa com custo mais acessível e viável para atender à demanda crescente da indústria têxtil, pode oferecer vantagens ainda maiores para o setor se for produzido a partir de material reciclado”, explica André Giglio, especialista de Desenvolvimento de Mercado Polipropileno da Braskem. 
 
Os estudos na área de Reciclagem da Braskem permitiram o desenvolvimento de uma solução que mantém as mesmas características de um tecido produzido a partir de polipropileno virgem, como leveza, resistência ao desdobramento e à formação de pillings (bolinhas), maior durabilidade, secagem rápida, dispersão da transpiração, facilidade de limpeza e tingimento ecológico (a tintura é feita no processo de fiação a seco, gerando economia de água). “A sustentabilidade é uma questão muito presente em nossos processos e temos avançado cada vez mais no desenvolvimento de soluções que possam minimizar impactos ambientais na cadeia de valor de forma geral. A ampliação do nosso portfólio de produtos sustentáveis é consequência dos nossos compromissos com a Economia Circular, que incluem investimentos em tecnologia e inovação e trabalho conjunto com nossos parceiros, clientes, fornecedores e a sociedade”, afirma Ana Laura Sivieri, Diretora de Marketing & Comunicação da Braskem. Os tecidos fabricados com as microfibras de polipropileno com material reciclado também são recicláveis e, se descartados adequadamente, poderão ser transformados em novas malhas ou outros produtos. 

Veja também

24/02/2021
LIXO NOS MARES | Programa Pellet Zero é destaque no Brasil
19/02/2021
ECONOMIA CIRCULAR | BVRio e Iniciativa 3R buscam plástico zero
19/02/2021
PLÁSTICO | Resíduos são transformados em embalagens
08/02/2021
COLETA DOMÉSTICA | Descarte correto de micropoluentes
01/02/2021
RESÍDUOS | BMW Brasil reinsere PVC na produção
22/01/2021
ECONOMIA CIRCULAR | Tampinha Legal já destinou mais de R$ 1 milhão
11/01/2021
LOGÍSTICA REVERSA | Consulta pública para destino correto a vidros
11/01/2021
SÃO PAULO | R$ 2,2 milhões para coleta e reciclagem
23/11/2020
LOGÍSTICA REVERSA | Indústria de pneus dá exemplo
23/11/2020
ALUMÍNIO | Índice de latinhas recicladas é de 97,6%
23/11/2020
SUSTENTABILIDADE | Braskem quer ser carbono neutro até 2050
23/11/2020
SABESP | Usina de reciclagem para produzir asfalto