19/04/2021
ARTIGO

O baixo nível dos reservatórios e o impacto na geração de energia

Por Valdo Marques *

Milhares de mortes diariamente, há meses, e uma crise econômica nacional, responsável por ampliar a taxa de desemprego e tornar quase inviável o futuro de várias empresas de diferentes setores. Não obstante todos esses problemas, a pandemia de Covid-19 também relegou para segundo plano situações que podem gerar enormes prejuízos ao Brasil como um todo, num futuro próximo. 

Entre elas está o baixo nível dos reservatórios de água das hidrelétricas do subsistema Sudeste/Centro-Oeste. O mês de janeiro de 2021 registrou o pior nível para o período desde 2015, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). 

Os reservatórios citados, responsáveis por mais da metade da energia produzida no Brasil, registraram apenas 23,2% de armazenamento médio no início do ano. Os índices de chuva nestas regiões estão historicamente mais baixos. Em janeiro deste ano, o volume de água que chegou aos reservatórios das hidrelétricas foi o menor para o mês em 85 anos. 

Nos últimos 10 anos, é bem verdade, houve incremento expressivo da geração eólica nacional, cuja participação passou de 0,8% para 9%. Ainda assim, aproximadamente 65% da nossa matriz energética depende diretamente da capacidade de geração hidrelétrica. Ou seja, ainda que não estivéssemos enfrentando uma pandemia sem precedentes, as perspectivas econômicas já seriam críticas, em função do risco de falta de energia. Inclusive, há opiniões que creditam à própria desaceleração econômica, advinda do Covid-19, não estarmos sob ameaça de um novo apagão. 

Por isso, torna-se cada vez mais premente o investimento em fontes energéticas que não deixem o país em uma situação perigosa, dependendo unicamente de fatores cujo controle está fora de seu alcance. Tecnologia e inovação podem – e devem – ser aliadas dos players do setor energético nacional, com o objetivo de oferecer soluções inteligentes e sustentáveis. 

Por outro lado, instalações e equipamentos que não requerem obras nem demandem reabastecimento constante, e que forneçam energia de forma segura e prática, devem fazer parte do planejamento das empresas, condomínios residenciais e prestadoras de serviços indispensáveis. Não importa o tamanho nem o setor da companhia. 

Atividades críticas, por exemplo, podem contar com alimentação energética contínua e ininterrupta, com o uso de grupos geradores. O modelo garante maior flexibilidade e segurança, podendo, inclusive, ser formatado com duas máquinas no mesmo container, atuando um em contingência do outro ou mesmo em paralelo. 

Os geradores a gás, por sua vez, também são uma alternativa viável para empresas que exigem confiabilidade, combinada com baixas emissões atmosféricas. Inclusive, em algumas (poucas, é verdade) regiões do país, a rede de gás pode abastecer continuamente, garantindo autonomia com segurança. 

São diversas as opções para que o país não se torne refém de um único modelo energético, sujeito a fatores quase imprevisíveis e fatalmente prejudiciais para o correto andamento das atividades econômicas, assim como daquelas correlacionadas à segurança, saúde e conforto da população. A Stemac, especialista na fabricação e comercialização de grupos de geradores, segue neste propósito, desenvolvendo sistemas de controle e proteção que tornam a usabilidade mais eficaz e segura, auxiliando o cliente na redução do consumo energético e garantindo fornecimento de energia sem interrupção. 

O fato é que a pandemia ainda seguirá por alguns longos meses, infelizmente, exigindo paciência e resiliência dos brasileiros, em diversos âmbitos. Mas cabe, também, ao Poder Público propiciar um ambiente favorável ao desenvolvimento da economia, impedindo que o Brasil afunde em outras crises, principalmente por razões que podem ser evitadas. 


* Valdo Marques é Vice-Presidente Executivo da Stemac, empresa que oferece soluções em geradores comercial, industrial e residencial

Veja também

10/05/2021
ENERGIA RENOVÁVEL | Apoio a marco legal para geração própria
10/05/2021
BIOGÁS | Gerando energia elétrica no Paraná
04/05/2021
ENERGIA SOLAR | BMW Group instala placas em fábrica
04/05/2021
VEÍCULOS | Marcopolo produz VLP sustentável
04/05/2021
VEÍCULOS ELÉTRICOS | 145 milhões de unidades até 2030
26/04/2021
ENERGIA SOLAR | Minas Gerais tem 938 MW de potência
26/04/2021
COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS | Volvo e SSAB vão produzir “veículos limpos”
19/04/2021
ARTIGO | Quanto custa a falta de água?
19/04/2021
ENERGIAS RENOVÁVEIS | Anglo American chega a 100%
11/04/2021
ARTIGO | Cidades da América Latina enfrentam desafios climáticos
11/04/2021
ENERGIA EÓLICA | Petrobras conclui vendas de mangue 3 e 4
07/04/2021
TECNOLOGIA | Projeto de energia térmica solar