04/12/2019
EMISSÔES

A primeira criptomoeda ambiental

Com a utilização de tecnologias avançadas de blockchain, a norte-americana Greenline Associates LLC criou a Cryptogreen, a primeira criptomoeda do mundo que auxilia na preservação de florestas e ainda facilita a transação de créditos de carbono.
 
Com a Cryptogreen, os interessados podem adquirir mais rapidamente créditos de carbono e compensar a poluição de gases de efeito estufa de pessoas e de empresas. Quem adquirir a criptomoeda com esse viés fará a troca da quantidade de criptomoedas, que corresponde à sua emissão de GEE, e após validação receberá um certificado de sustentabilidade, o selo Verde, reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). As criptomoedas estarão disponíveis para aquisição no site www.cryptogreen.org e na plataforma Waves, que garante que a transferência da moeda seja feita em cinco segundos.
 
A Cryptogreen permite que as partes reduzam os custos operacionais durante as transações comerciais de créditos de carbono, além da proteção de investimentos de maneira a reduzir as emissões de CO2. Além disso, a tecnologia blockchain por trás da criptomoeda adiciona um alto nível de segurança, transparência e eficiência a todas as partes envolvidas nas transações comerciais de créditos de carbono. 

Veja também

16/12/2019
EMISSÕES | Abetre e Cetesb assinam acordo
25/11/2019
COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS | Projetos dificultam metas de Paris
27/07/2019
POLUIÇÃO | Cetesb vê melhora na qualidade do ar
17/06/2019
FUMAÇA PRETA | Cetesb autua mais de 1.000 veículos
07/04/2019
EMISSÕES | UE pode reduzir 58% em 2030