22/06/2020
ABASTECIMENTO

Sabesp assume serviços em Mauá

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) assinou contrato com a Prefeitura de Mauá para desenvolver serviço de abastecimento de água no município. O acordo deve beneficiar diretamente os cerca de 454 mil moradores da cidade com investimentos na ampliação da rede de água e reservatórios, além de obras para reduzir as perdas e regularizar comunidades com novas ligações de água. 

A Sabesp vai investir R$ 219 milhões em obras durante o contrato. O município também vai receber recursos transferidos ao Fundo Municipal de Saneamento Ambiental e Infraestrutura (FMSAI), num total de R$ 113 milhões, o que eleva o investimento para R$ 332 milhões. Entre as obras previstas estão a construção de três reservatórios de água tratada: um na região do Anchieta, o segundo no Jardim Itapark e outro no Parque das Américas, elevando a capacidade de reservação em 10 milhões de litros, além da instalação de uma estação elevatória para bombeamento de água na região do Zaíra e obras para a melhoria do abastecimento nos bairros Jardim Sônia Maria, Jardim Sílvia Maria, Vila Nova Mauá e região. A Sabesp vai ampliar as redes de distribuição e fazer novas ligações de água em comunidades onde a conexão é irregular, beneficiando cerca de 25 mil famílias que vivem nessas localidades.

Além de todas as obras, a Sabesp estabeleceu como meta a redução das perdas de água na distribuição, atualmente algo em torno de 50%. A companhia acredita que a substituição de redes e ramais antigos, a pesquisa e reparo de vazamento, o combate a irregularidades e outras ações contribuirão para uma redução para 32% até 2022, com investimentos de R$ 6,1 milhões neste período. Durante todo o contrato, a meta é baixar as perdas dos atuais 424 litros por ligação/dia para 130 litros por ligação/dia, totalizando um investimento de R$ 60,8 milhões somente no combate a essas perdas.

O contrato assinado com a Prefeitura de Mauá tem duração de 40 anos e início imediato, porém prevê um período de transição na transferência pelo trabalho conjunto da Sabesp e da Sama, a autarquia municipal que agora deixa de operar o abastecimento da cidade. O contrato estabelece ainda que a dívida de R$ 3,5 bilhões do município com a companhia seja equacionada ao longo do período de prestação de serviço. A medida vai aliviar o caixa da prefeitura, permitindo que a administração da cidade invista em outras áreas – como saúde, educação e transporte. A fiscalização do cumprimento do contrato será feita pela Arsesp (Agência Reguladora de Energia e Saneamento do Estado de São Paulo).

Veja também

06/07/2020
ARTIGO | Um novo marco para o Brasil
06/07/2020
MARCO REGULATÓRIO | ANA promete parceria com agências subnacionais
06/07/2020
ABASTECIMENTO | BRK Ambiental conclui obra em Limeira
29/06/2020
BRK AMBIENTAL | Posicionamento sobre marco regulatório''
29/06/2020
SOS MATA ATLÂNTICA | Novo marco não reconhece direito humano