15/05/2018
MEIO AMBIENTE

Senado aprova compensação ambiental

O Senado aprovou a medida provisória que autoriza o Instituto Chico Mendes (ICMBio) a selecionar, sem licitação, um banco público que terá a responsabilidade de criar e gerir um fundo formado pelos recursos arrecadados com a compensação ambiental. O fundo deverá financiar unidades federais de conservação, como parques nacionais, reservas biológicas e áreas de proteção ambiental (APAs). Agora a medida depende apenas de sanção presidencial.

A medida foi aprovada com alterações sugeridas por seu relator, senador Jorge Viana (PT-AC), dentre as quais a permissão para que serviços, áreas ou instalações de unidades de conservação federais sejam concedidas para a exploração de atividades de visitação. Na execução dos recursos do fundo, o banco escolhido poderá realizar as ações escolhidas pelo órgão de forma direta ou indireta, inclusive por meio de parceria com banco oficial regional. O banco também ficará responsável pelas desapropriações de imóveis privados que estejam em unidades de conservação beneficiadas pelos recursos do fundo.

De acordo com o ICMBio, o fundo permitirá a utilização de cerca de R$ 1,2 bilhão atualmente represados. Desse total, cerca de R$ 800 milhões seriam destinados à regularização fundiária das unidades de conservação. O restante deverá ser investido na implementação das unidades.

Veja também

25/05/2020
MEIO AMBIENTE | Coronavírus e o Direito Ambiental
03/03/2020
MEIO AMBIENTE | Brasil pode ter perdas anuais de US$ 14 bi
03/03/2020
CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL | Brasileiros preferem marcas sustentáveis
17/02/2020
COMPORTAMENTO | Meio ambiente preocupa paulistas
15/01/2020
MEIO AMBIENTE | Governo anuncia Secretaria da Amazônia
10/09/2019
MEIO AMBIENTE | Protocolado pedido de impeachment